segunda-feira, abril 30

quem é este gravurista?


um dos males de trabalhar com informação demais e pesquisa demais é que as vezes nos perdemos. por exemplo: esta gravura é de autoria de um artista latino, residente nos Estados Unidos. porém, mais do que isto não consigo me lembrar. alguém sabe quem é o artista para me auxiliar?

Rubens Woodcut Series

ai vai uma palhinha da série de fontes que estamos elaborando em cima de woodcuts de centenas de livros, chamada RubensWoodcuts (não se trata do pintor espanhol)

filmes de terror, bichinhos e faquinhas (4)

quase tão ruins quanto alguns filmes B são os nomes que as distribuidoras brasileiras lhes dão, na tentativa de agradar (ainda mais) aos desmiolados que os locam. muitos destes filmes são mais divertidos do que aparentam, quando passamos a ve-los pelo angulo da peça de curiosidade, kitsch. façamos de conta que voce é um funcionario duma distribuidora qualquer, encarregado de dar nomes aos bois. vamos lá:

Zumbis Comedores de Carne Fresca

Invasão dos Fazendeiros Sangrentos

Gripe

tente voce também...

Alphonse Mucha



capitulares ornamentais

dá trabalho, é verdade. mas eu não me canso de digitalizar velhos specimens como estas capitulares ornamentais, aqui já em processo de finalização

domingo, abril 29

uma pena

é uma pena quando obtemos um exemplar bom como este, porem incompleto...

da enciclopedia perdida...

aqui vão duas raras gravuras da mais rara ainda Enciclopedia do Conhecimento Adivinhado, impressa em Boston, há mais de trezentos anos. poucos exemplares sobreviveram até os dias de hoje, principalmente porque os acadêmicos negam a sua existência

na primeira gravura voce pode ver o ataque de dois homens-pipoca contra indios Sioux. na segunda, o Monstro do Algodão Doce prestes a atacar mulher indigena assando milho

Szukalski, um visionário (2)




para saber mais sobre Szukalski, leia o post original.

Regulum Lusitanie (6)

ajoelhem-se, plebeus. pois aí vão mais dois de nossos reis lusitanos (donde descenderá Nataniel Jebão?)

O primeiro é Dom Alfonso III, o quinto rei de Portugal, membro da primeira dinastia de reis portugueses, a Alfonsina. Teve vida atribulada, tendo inclusive herdado pelo matrimonio o condado de Bolonha e no fim da vida foi excomungado, ele e seu reinado, pelos bispos portugueses. mais voce pode ver nas excelentes paginas da Wikipedia sobre os reis lusos.

nosso segundo herói histórico de hoje é o Dionísio I (Dinis I, no arcaico: Diniz I). outro da dinastia Alfonsina-Borgonhesa. Deste vale a pena falar, tendo sido provavelmente o primeiro rei portugues alfabetizado. deu impulso a economia e a agricultura do pais. escreveu várias cantigas de amiga e trovadorescas. amava as artes. preferia a administração que a guerra, fazendo acordos com os beligenrantes vizinhos quando possivel. mais pode voce saber, ó pá, aqui.




design nos primordios digitais...

leia esta interessante (para os novatos) e saudosa (para os da velha guarda) descrição de nossos primordios em edição gráfica... obtida no site da Solução Gráfica Design.

"Recebi esta pergunta via site da Lygia:

"Estou fazendo meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) em computação gráfica e estou pesquisando como as gráficas trabalhavam antes da existência do Corel Draw (imagino que era de forma manual, como arquitetos e engenheiros), e lendo sobre a sua história, vi que você cita o fim da arte-final manual. Poderia me explicar como era o trabalho de gráficas antigamente?"

Lygia, eu peguei o finzinho da transição entre manual/analógico para automático/digital. Em 1992 eu trabalhei em uma agência de publicidade (Programa, do Valdenê Amorim - CBN) e foi lá que eu, aprendiz (como na idade média) de um rapaz chamado "Boi", aprendi a preparar as artes para impressão gráfica e anúncios em jornais e revistas.

Conta-fio
Conta-fio
Naquela época, eu estava cursando o CLA do José Tanus, em Campinas, SP. Estudava desenho artístico e publicitário e aerografia. Qualquer pessoa que desejasse trabalhar com publicidade naqueles dias, normalmente cursava Publicidade na PUC e complementava a parte prática com os cursos do CLA. Destreza manual e noções de desenho eram imprescindíveis para quem pretendia ser arte-finalista.

Vou dar aqui um exemplo de como se fazia uma página de jornal. Você pegava uma prancha de cartão triplex no tamanho exato do jornal, colocando 4 a 5 centímetros de margem. Fixava a lâmina de cartão com uma fita crepe em uma prancheta. Riscava a grade usando régua T e esquadro com lapiseira azul, que não era capturada pelo fotolito mecânico. Percebe a relação? É por isso, por tradição, que as guias dos programas gráficos são normalmente em ciano (azul).

Pronta a grade, com as marcações das colunas e dos espaços entre elas, chegava a hora do past up. Past up consistia em colar, com cola de benzina (depois a cola de bastão PRIT, o que já foi uma revolução) as lâminas de texto previamente encomendadas a terceiros que faziam o serviço de fotocomposição. Os textos chegavam impressos em um papel fotográfico, no tamanho das colunas previamente definidas pelo projeto gráfico do jornal. Então você precisava recortar com estilete aquelas tiras e ir ajustando as colunas nos espaços. Na maioria das vezes era necessário cortar e colar as últimas linhas ou mesmo letras, forçando um kerning maluco para que as colunas ficassem alinhadas e justificadas. Imagine o trabalho.

Não havia muitos tipos. Ou era Helvética, currie ou times. O padrão era letras com serifa para o texto e letras sem serifa para os títulos. Se você quisesse uma letra diferente, ou em um corpo acima do catálogo da fotocomposição, você precisaria recorrer a Letraset. Letraset eram laminas de plástico transparente com centenas de letras repetidas para serem decalcadas na arte-final. Se você errasse, tinha que raspar o papel com a gilete ou com guache branco. E olhe que Letraset já era um avanço. Em conversa com profissionais mais experientes ouvi dizer que antes dessa "inovação", eles tinha que procurar em outros impressos pelas letras necessárias para compor um título. Imagine só que loucura, as agências tinham que estocar revistas para ter de onde tirar os tipos. E mesmo a fotocomposição era uma revolução. Antes era apenas tipografia, que imperou desde sua invenção por Gutemberg e é usada ainda hoje.

Fotocompositora
Fotocompositora
As fotos eram um caso a parte. Era necessário recortar pedaços de cartolina preta no tamanho da foto que iria colocar ilustrando a matéria, no caso de fotos coloridas. Era uma máscara para o fotolito mecânico. Então, você pegava a fotografia, e no verso, indicava como queria o corte da foto. Fotos branco e preto você enviava para terceiros que lhe retornavam uma foto já reticulada em papel fotográfico. Aí era só só recortar e colocar na arte-final.

Muitas vezes era preciso fazer fios, box ou outros elementos gráficos. Aí entrava em cena a caneta nankin. Havia várias, normalmente de 0.3 e 0.5 mm. Áreas negras irregulares eram preenchidas com nankin também. Se fosse necessário criar tons cinzas, então você recorria a retículas da LETRASET (folhas de plástico transparentes decalcáveis com potinhos minúsculos criando a ilusão ótica de tons de cinza contínuos), em áreas irregulares, ou indicava com a lapiseira azul a porcentagem de preto que você queria naquela região. Para fazer isso, você colocava folha de papel transparente cobrindo toda a superfície da arte-final. Era nessa folha que você dava indicações para o fotolito, como as áreas reticuladas.

Quando tudo estivesse pronto, você juntava as fotos e a arte-final com clips e enviava ao fotolito. O fotolito então fotografava a arte final, gerando um negativo. Em seguida, usava uma tinta espessa e vermelha para cobrir um zilhão de buraquinhos brancos que se tornariam pontos pretos na impressão. Esse trabalho era feito em mesa de luz. Estes profissionais recortavam as áreas agora transparentes do filme, com estilete e durex, que você havia originalmente indicado com cartolina preta, e colocavam os negativos das fotografias que havia solicitado. Esses negativos eram gerados a parte, para gerar os negativos reticulados.

Depois o fotolito era revisado e enviado à gráfica que usava o negativo e gerava um positivo em uma placa de alumínio. Essa placa de alumínio por sua vez era enrolada em um cilindro na impressora off-set. O conteúdo da placa era então transferido para um outro cilindro de borracha que recebia a tinta que era transferida para o papel, como um carimbo.

Em suma, esse era o processo em 1992. Se a arte fosse colorida, o trabalho era quadruplicado e o fotolito custava uma fortuna. A arte-final não mudava tanto, você apenas tinha de indicar as cores que queria na sua lâmina e as porcentagens. Mas o fotolito tinha que decompor sua arte nas quatro cores (ciano, magenta, amarelo e preto) e gerar quatro lâminas para impressão. Era muito comum falhas de registro, já que tudo era manual. Falha de registro ocorre quando as cores não "casam" perfeitamente, gerando espaços brancos entre as chapas. Observe que em artes coloridas, a mesma folha tinha de ser impressa quatro vezes.

Ai surgiu o Ventura Publishing da Xerox. Este software, junto às impressoras a laser que barateavam, mataram as empresas de fotocomposição. Agora você mesmo produzia seus textos e títulos. Imprimia em papel sulfite e fazia sua arte-final como antes. Mas as primeiras impressoras só alcançavam 300 dpi, então a fotocomposição sobreviveu mais um pouquinho.

Offset Bicolor
Offset Bicolor
Em seguida, surgiram as fotocompositoras a laser que aniquilaram o fotolito mecânico, a arte-final manual e o layout. É o processo atual. Você cria no computador, no Corel Draw ou no Indesign, imprime uma cópia para o cliente aprovar na sua impressora colorida e manda o arquivo para a empresa de fotolito. Ela pega o seu arquivo e gera as lâminas do filme, diretamente em uma impressora especial chamada fotocompositora a laser.

Esqueci de mencionar como era o processo de layout, que precedia o de arte-final. Imagine a capa de uma revista. Bom, aqui você precisava saber desenhar MESMO. Pegava-se uma folha de papel, que variava de acordo com a complexidade da arte. Podia ser um sulfite comum ou até um Hans Schoeller importado. E então desenhava a capa ilustrando as pessoas das fotos, os títulos, e indicava o texto com traços. Enviava ao cliente para aprovação, que normalmente retornava a arte com alterações. Você atendia e enviava novamente, até que ele aprovasse para você fazer a arte-final.

Observe que o desktop publishing barateou custos, mas tornou obsoletos profissionais qualificados. Alguns conseguiram migrar para a nova realidade, outros desapareceram no vácuo darwiniano do progresso. Outra coisa: arte-finalistas, técnicos de fotolito, ilustradores, layout mans, todos esses profissionais foram fundidos em um único, o piloto de Corel Draw. Infelizmente, ele não ganha por três, apesar de fazer o trabalho dos três...

Por outro lado, a automatização de processos manuais abriu as portas para o processo criativo. Pessoas sem talento para o desenho puderam entrar nos corredores secretos da criação publicitária. Claro que houve um custo, basta olhar a qualidade dos impressos por aí. Porém, essa queda acentuada de qualidade despertou a necessidade para cursos de Design Gráfico, hoje tão comuns em nível técnico como universitário.

De qualquer forma, como as boas escolas salientam, é sempre bom fazer um curso de desenho. Dominar programas gráficos sem ter noções básicas de composição, desenho, perspectiva, teoria das cores, etc, é como construir uma casa sem planta. É a diferença entre o pedreiro e o engenheiro-arquiteto.

Outras fontes de informação:

monogramas, a pedidos




a pedidos, aí vão alguns monogramas. a Intellecta está produzindo uma fonte de "Crowns, Crosses and Monograms", assuntos correlatos.

Message of Love, Pretenders

da séria série Musica para Tipografia, Message of Love, Pretenders



Paraiso Perdido, Milton e Gustave Doré

Gustave Doré é um daqueles que nós nunca nos cansamos de publicar. Aqui vão fabulosas gravuras para o Paraiso Perdido, de Milton, que voces sabem, foi o livro de cabeceira da criatura de Frankenstein, quando vivia no estábulo. Não sabes? Leia o livro.




sábado, abril 28

Nataniel Jebão : Nossa Sociedade

para quem não conhece porque é um brasileiro pobre e iletrado, nascido na baixa sociedade, este é Nataniel Jebão, o cronista da Nossa Sociedade:

Eu, o grande Jebão, descendente de nobres alienígenas, imperadores, reis, príncipes e papas, jamais me preocupei muito com as questões espirituais. Uma vez que sou imortal, necessito apenas de dinheiro, mulheres e um alfaiate inglês. Tenho-os. Eventualmente, porém, comunico-me com o Além através do computador. Outra noite - depois de realizar com admirável sucesso a posição do coração da magnólia negra sobre a virgem neve - liguei o computador e alva ainda estava a tela quando por ela (viram como rimou?) passou um inseto mínimo, a décima parte de uma formiga.

Preparei-me para esmagá-lo quando uma voz tonitruante soou aos meus sensíveis ouvidos: ''Pense no que vais fazer, Jebão, pois sou Deus''. Para resumir uma longa e instrutiva conversa, direi apenas que ele me explicou tudo. E o tudo, como o nada - e confesso que esta parte não entendi direito, pois as esposas me chamavam para ver o último capítulo da novela Os ricos também broxam - é o ritual, o espetáculo. Houve uma época em que o show era o show e a realidade, a realidade. Hoje, apenas os eleitos, como Berzoini, conseguem distinguir o que é real do que é ficção. Os meios de comunicação usam o ritual para seu jornalismo e os ritualistas usam o jornalismo para o ritual. Por isso precisamos estar sempre atentos: a pedra pode ser nuvem e a nuvem pode ser o que bem quiser, uma vez que toma todas as formas.

Neste momento o mundo real tornou-se tão ficcional que a ficção decidiu vingar-se da realidade. A ficção pode matar a fome e o peixe pode estar podre. O Negro Preto (demorei a entender que ele se referia a Schwarzenegger) bem como a Rainha das Flores (esta foi fácil, referia-se à governadora Rosinha) são apenas alguns sinais que precisam ser decifrados. Depois do Negro Preto virá a Lassie (que em verdade é macho) e depois da Rainha das Flores virá o Baiuno Fresco, que ninguém sabe quem é. Quando a realidade houver se transformado em ficção e a ficção em realidade, Heráclito Fortes levantará um exército famélico no Piauí e invadirá a Venezuela. As autoridades venezuelanas darão de comer aos piauienses e Heráclito será contratado por um circo e fará sucesso no papel de Chico Banha.

Ele (e vocês sabem a quem me refiro) apontou com uma das suas milhares de patinhas para o imenso telão do tálamo, onde as minhas esposas se deliciavam com o último capítulo da novela, e desapareceu num canto da tela do computador antes que eu pudesse lhe perguntar sobre a quadratura do círculo, os limites do universo e o colossal universo dos limites. A resposta só poderia estar no telão e estava. No oitavo mês, Rachel descobriu que estava grávida de Fred, a doméstica. Júlio e Cláudio casaram no civil discretamente, mas no religioso, na boate do Taj Mahal. Arlindo descobriu que Salete é sua filha e mãe do dr. Valcour. Albertinho Limonta será governador da Bahia e descobrirão um poema de João Cabral de Melo Neto no qual ele confessa que a reforma agrária não passa de uma licença poética de sua autoria.

nosso blog continuará reverenciando o mestre (enquanto a grana dos direitos autorais a ele não faltar) publicando suas sábias palavras

100 typefaces históricas

sites e exercícios teóricos sobre as 100 mais importantes typefaces da história não são novidade. uma lista muita famosa é aquela elaborada por Paul Shaw, se não me engano em 1999.

contudo, este site aqui que decobri, 0 100Types.Com, é muito bem construido, apresentando as 100 mais importantes typefaces da história por timeline, por autor, por familia tipográfica, ilustrancoi suas ancestralidades...

para cada tipografia clássica nos dá de bandeja o motivo de sua originalidade histórica, o tipógrafo ou designer que a criou, o primeiro impressor a utilizá-la e muito mais, em contextos, no entanto, simples e de fácil assimilação, não academicos demais.

de quebra, o site fornece, para cada fonte histórica a sua sugestão de como cada fonte pode ser utilizada nos dias de hoje (aplicabilidade) e se existem versões digitais disponiveis (comerciais e shareware). o autor ainda nos informa que seu objetivo é identificar no nosso universo digital todas as 100 fontes em versões contemporâneas, coisa que, de fato, ainda não identificou. portanto, muitos destes classicos, aparentemente não sofreram processo de revivalização. a Intellecta está, eu garanto, na fila. você se habilita?

acima, "rotunda" de Ratdolt

acima, os tipos gutenbergianos. a primeira ilustração deste post traz os italicos de Francesco Griffo, colaborador de Aldus Manutius

tipos clássicos e inesquecíveis. humildemente lhes digo: no mileno da tipografia (faltam ainda quatro séculos, pessoal), se eu tiver uma de minhas fontes na lista das mil serei um fantasma feliz.

sexta-feira, abril 27

todas as fontes Intellecta

para os historiadores aí vai: esta é a listagem atualizada do catalogo da Intellecta até a data de hoje, considerando apenas as fontes comerciais. margem de erro de duas ou tres fontes, no máximo

Advantage
Advantage Volume
AdvantageBold
AdvantageItalic
AdvantageLined
AdvantageOutline
AdvantageShadow
AdvantageVersalete
Alta
Alta Volume
AltaBold
AltaItalic
AltaLined
AltaOutline
American Advertise013 Volume
American Advertise016 Volume
AmericanAdvertise013
AmericanAdvertise013Lined
AmericanAdvertise013Shadow
AmericanAdvertise014
AmericanAdvertise014Lined
AmericanAdvertise015
AmericanAdvertise015 Volume
AmericanAdvertise015Shadow
AmericanAdvertise016
AmericanAdvertise016Shadow
AmericanAdvertise017
AmericanAdvertiseSeries Volume
ApoloDecorative
ApoloDecorative Volume
ApoloDecorativeLined
ApoloDecorativeOutline
Ariana Volume
ArianaAdornada
ArianaAdornadaLined
ArianaBlack
ArianaElegance
ArianaEleganceItalic
ArianaEleganceOutline
ArianaEleganceShadow
Biza
Biza Volume
BizaBold
BizaItalic
BizaLined
BizaOutline
BizaShadow
BizaVersalete
Black
Black Volume
BlackDecorative
BoldBold
BoldBold Volume
BoldBoldItalic
BoldBoldLined
BoldBoldShadow
BruceOrnament
BruceOrnament + GeodecBruceOrnamented Volume
BruceOrnament Volume
BruceOrnamentLined
BruceOrnamentShadow
Carbono
Carbono Volume
CarbonoBold
CarbonoItalic
CarbonoShadow
ChancelarescaSpanola
ChancelarescaSpanola Volume
ChancelarescaSpanolaBold
ChancelarescaSpanolaItalic
ChancelarescaSpanolaLined
ChancelarescaSpanolaOutline
ChancelarescaSpanolaShadow
CopperplateDecorative
Cresciesco
Cresciesco Volume
CresciescoItalic
CresciescoShadow
DeutschePoster
DeutschePoster + DeutschePosterDecorative Volume
DeutschePoster Volume
DeutschePoster, Decorative, Steinschrift Volume
DeutschePosterDecorative
DeutschePosterItalic
DeutschePosterLined
DeutschePosterShadow
DeutschePosterSteinschrift
DeutschePosterSteinschrift Volume
DeutschePosterSteinschriftBold
DeutschePosterSteinschriftItalic
DeutschePosterSteinschriftLined
DeutschePosterSteinschriftOutline
DeutschePosterSteinschriftShadow
DovtrinaChristamConcani1622
Driahn
Driahn Volume
DriahnDecorative
DriahnDecorative2
DriahnDecorativeBold
DriahnDecorativeLined
DriahnDecorativeOutline
DriahnDecorativeShadow
DriahnItalic
DriahnShadow
EasyCallig
EasyCallig Volume
EasyCalligItalic
Elegancy
Elegancy Volume
ElegancyBold
ElegancyItalic
ElegancyLined
ElegancyOutline
ElegancyShadow
ElegancyVersalete
Estiliza
Estiliza Volume
EstilizaBold
EstilizaItalic
EstilizaLined
EstilizaOutline
EstilizaShadow
EstilizaVersalete
EvangeliaireUncial
EvangeliaireUncial Volume
EvangeliaireUncialItalic
EvangeliaireUncialOutline
EvangeliaireUncialShadow
ExperiTypo Volume
ExperiTypo4
ExperiTypo4Shadow
ExperiTypo6
Fantis
Fantis Volume
FantisLined
FatFontGrotesk
FatFontGrotesk Volume
FatFontGroteskItalic
FatFontGroteskLined
FatFontGroteskShadow
Feosa
Feosa Volume
FeosaBold
FeosaItalic
FeosaLined
FeosaShadow
FetteGotischeMaiuskel
FetteGotischeMaiuskel Volume
FetteGotischeMaiuskelBold
FetteGotischeMaiuskelHandtooled
FetteGotischeMaiuskelItalic
FetteGotischeMaiuskelLined
FetteGotischeMaiuskelShadow
FootballPassion
FrancescoDecorative
Frompac
Frompac Volume
FrompacBold
FrompacItalic
FrompacLined
FrompacOutline
FrompacShadow
FrompacVersalete
GansAntigua
GansAntigua Volume
GansAntiguaBold
GansAntiguaItalic
GansAntiguaLined
GansAntiguaManuscrito
GansAntiguaManuscrito Volume
GansAntiguaManuscritoItalic
GansAntiguaManuscritoLined
GansAntiguaManuscritoOutline
GansAntiguaManuscritoShadow
GansAntiguaShadow
GansCarmemAdornada
GansCollection Volume
GansFulgor
GansFulgor Volume
GansFulgorHumanista
GansFulgorHumanistaLined
GansFulgorHumanistaOutline
GansFulgorHumanistaShadow
GansFulgorLined
GansFulgorOutline
GansFulgorShadow
GansIbarra
GansIbarra Volume
GansIbarraBold
GansIbarraLined
GansIbarraShadow
GansItaliana
GansItaliana Volume
GansItalianaBold
GansItalianaCondensed
GansItalianaDecorativa
GansItalianaDecorativaItalic
GansItalianaDecorativaLined
GansItalianaDecorativaOutline
GansItalianaDecorativaShadow
GansItalianaItalic
GansItalianaLined
GansItalianaOutline
GansItalianaShadow
GansItalianaVersalete
GansLathModern
GansLathModern Volume
GansLathModernBold
GansLathModernItalic
GansLathModernLined
GansLathModernShadow
GansRadioLumina
GansTipoAdorno Volume
GansTipoAdornoHandtooled
GansTipoAdornoHandtooledItalic
GansTipoAdornoHandtooledLined
GansTipoAdornoHandtooledShadow
GansTipoAdornoSolid
GansTipoAdornoSolidBold
GansTipoAdornoSolidItalic
GansTipoAdornoSolidLined
GansTipoAdornoSolidShadow
GansTitania
GansTitania Volume
GansTitaniaBold
GansTitaniaItalic
GansTitaniaLined
GansTitaniaOutline
GansTitaniaShadow
GansTitularAdornada
GansTitularAdornada Volume
GansTitularAdornadaItalic
GansTitularAdornadaWhite
Gavinha
Geodec
GeodecBruceOrnamented
GeodecBruceOrnamented Volume
GeodecBruceOrnamentedLined
GeodecBruceOrnamentedShadow
GeodecEgiptian
GeodecEgiptian Volume
GeodecEgiptian3D
GeodecEgiptianBold
GeodecFleurons
GeodecFog
GeodecFog Volume
GeodecFogItalic
GeodecFogWhite
GeodecMinuskel
GeodecMinuskel Volume
GeodecMinuskelLined
GeodecN9
GeodecN9 Volume
GeodecN9Italic
GeodecN9Lined
GeodecN9Outline
GeodecN9Shadow
GeodecPetrasEnhanced
GeodecSpyral
GeodecSpyral Volume
GeodecSpyralLined
GeodecSpyralShadow
GeodecSuperfamily
GlacianaDecorative
GlacianaDecorative Volume
GlacianaDecorativeLined
GlacianaDecorativeOutline
GlacianaDecorativeShadow
Gothic16CG
Gothic16CG Volume
Gothic16CGDecorative
Gothic16CGDecorativeLined
Gothic16CGDecorativeOutline
Gothic16CGDecorativeShadow
Gothic16CGItalic
Gothic16CGLined
Gothic16CGOutline
Gothic16CGShadow
GothicHandtooledBastarda
GothicHandtooledBastarda Volume
GothicHandtooledBastardaOutline
GothicHandtooledBastardaShadow
GrasVibert
GrasVibert Volume
GrasVibertHandtooled
GrasVibertHandtooledCapitals
GrasVibertItalic
GrasVibertLined
GrasVibertShadow
GraveOrnamental
Greta
Greta Volume
GretaLined
GretaOutline
GretaShadow
Grid
Grid Volume
GridLined
GridOutline
GridShadow
HalfFlower2
HalfFlower2 Volume
HalfFlower2Bold
HalfFlower2Italic
HalfFlower2Shadow
HostetlerFetteUltfrakturOrnamental
HostetlerFetteUltfrakturOrnamental Volume
HostetlerFetteUltfrakturOrnamentalOutline
HostetlerFetteUltfrakturOrnamentalShadow
Ibarra Volume
IbarraDecorative
IbarraFlourished
Inox
IntellectaBodoned
IntellectaBodoned Volume
IntellectaBodonedBold
IntellectaBodonedItalic
IntellectaBodonedLined
IntellectaBodonedOutline
IntellectaBodonedShadow
IntellectaDecorative Volume
IntellectaDecorative017
IntellectaDecorative018
IntellectaDesign all familys
IntellectaDesign Blackletter Fonts
IntellectaModern
IntellectaModern Volume
IntellectaModern2
IntellectaModern2Bold
IntellectaModern2Italic
IntellectaModern2Lined
IntellectaModern2Outline
IntellectaModern2Shadow
IntellectaModern2Versalete
IntellectaModernBold
IntellectaModernItalic
IntellectaModernLined
IntellectaModernOutline
IntellectaModernShadow
IntellectaModernVersalete
IntellectaRomanaHumanistica
IntellectaRomanaHumanistica Volume
IntellectaRomanaHumanisticaBold
IntellectaRomanaHumanisticaItalic
IntellectaRomanaHumanisticaLined
IntellectaRomanaHumanisticaOutline
IntellectaRomanaHumanisticaShadow
IntellectaRomanaHumanisticaVersalete
IntellectaSlabBold
KansasDecorative
KurrentKupferstich
Laureatus
Laureatus Volume
LaureatusItalic
Lementa
Lementa Volume
LementaBold
LementaExperienced
LementaItalic
LementaLined
LementaOutline
Liam
Liam Volume
LiamLined
LiamOutline
LiamShadow
LowerMetalShadow
Malvinna
Malvinna Volume
MalvinnaBold
MalvinnaItalic
MalvinnaLined
MalvinnaOutline
MalvinnaShadow
Missal
NumaInitials
Orchis
Orchis Volume
OrchisBold
OrchisBoldItalic
OrchisBoldShadow
OrchisItalic
OrchisLined
OrchisShadow
Paola Volume
PaolaDecorativa
PaolaDecorativaOutline
PaolaDecorativaShadow
PaulusFrancke1602
Pingente
Questy
Questy Volume
QuestyBold
QuestyItalic
QuestyOutline
QuestyShadow
RoughFleurons
SchneiderBuchDeutsch
SchneiderBuchDeutsch Volume
SchneiderBuchDeutschBold
SchneiderBuchDeutschCondensed
SchneiderBuchDeutschExpanded
SchneiderBuchDeutschItalic
SchneiderBuchDeutschLined
SchneiderBuchDeutschOutline
SchneiderBuchDeutschShadow
ScotoKobergerFrakturN11
ScotoKobergerFrakturN11 Volume
ScotoKobergerFrakturN11Italic
ScotoKobergerFrakturN11Lined
ScotoKobergerFrakturN11Outline
ScotoKobergerFrakturN11Shadow
ScotoKobergerFrakturN9
ScotoKobergerFrakturN9 and N11 Volume
ScotoKobergerFrakturN9 Volume
ScotoKobergerFrakturN9Italic
ScotoKobergerFrakturN9Lined
ScotoKobergerFrakturN9Outline
ScotoKobergerFrakturN9Shadow
ScottishVignetes
Sinfonia
Sinfonia Volume
SinfoniaLined
SinfoniaOutline
SinfoniaShadow
SixtiesLiving
SoftFleurons
SoftFleurons and RoughFleurons Volume
TTF TATTOEF
TTF TATTOEF 2
TTF TATTOEF 2 Lined
TTF TATTOEF 2 Shadow
TTF TATTOEF 3
TTF TATTOEF 3 Lined
TTF TATTOEF 3 Shadow
TTF TATTOEF Lined
TTF TATTOEF Series Volume
TTF TATTOEF Shadow
Vengeance
Vengeance Volume
Vengeance3D
VengeanceBold
VengeanceCollege
VengeanceItalic
VengeanceItalicBold
VengeanceItalicLined
VengeanceItalicOutline
VengeanceItalicShadow
VengeanceItalicVersalete
VengeanceLinedN1
VengeanceReturn
VengeanceShadow
Volitiva
Volitiva Series Volume
Volitiva Volume 1
Volitiva Volume 2
VolitivaCapitular
VolitivaCapitularN2
VolitivaOpenFaceN1
VolitivaOpenFaceN2
VolitivaOpenFaceN3
VolitivaOpenFaceN4
VolitivaOpenFaceN5
VolitivaSolid
VolitivaWhiteSeal
WorldWarWarplanes

Crusades

vou modificar para voces a abordagem da série Crusades, de Gustave Doré. passarei a adicionar a esta série de posts a visão artistica das cruzadas por outro artista, cujo nome não consegui identificar até o momento. se o souberem, digam-me. notem que enquanto Doré mostra os cruzados passando por maus bocados e com uma climatação sombria nas gravuras o outro artista demonstra cruzados vitoriosos, com iluminação central em suas vitórias

a série logo abaixo é de Doré

cavaleiros templarios surpreendidos pelos turcos

Saladino e seu exército circundam os cruzados

os cruzados atravessando o monte Taurus

quinta-feira, abril 26

Gustavo Lassala

Gustavo Lassala é um de nossos mais estimados colegas em tipografia e design. aqui vão os links de dois de seus sites, que, embora ainda em construção, tem muito a nos dizer.

GustavoLassala.Com

e

Pichação


conheça diretamente aqui a fonte Adrenalina, de Gustavo Lassala